Transição de síndicos

18 de novembro de 2019 /

Transição de síndicos

Depois de falarmos sobre como tudo caí pro Síndico, se tornando sempre culpa do Síndico. Este texto tem o intuito de fazer com que os moradores reflitam sobre um assunto que raramente se ouve por aí no âmbito de condomínios, a transição de síndicos.

Com o crescimento do mercado de síndicos profissionais, muitos condomínios acabam optando por contratar uma pessoa de fora em substituição ao tradicional síndico morador. Mas o inverso também ocorre, como o condomínio contratar um profissional e optar por rescindir e voltar a eleger um síndico morador.

O que muitas vezes não nos atentamos é na forma como essa transição é feita. Quais informações e histórico do condomínio está sendo passado? Que conhecimento importante o gestor que está deixando o cargo está repassando ou não? Que impactos isso pode ter para os demais moradores?

O mais comum é se contratar auditoria de contas, mas um condomínio é muito mais que isso! Óbvio que as contas são importantes, mas certamente há muito mais que isso. Eu como síndica há alguns anos num mesmo local, posso afirmar que um condomínio tem uma imensidão de informações que se guardadas e não repassadas, podem afetar todo um equilíbrio e saí de financeira de uma comunidade.

Vemos diversos condomínios que passam anos reelegendo apenas uma única pessoa para o cargo de síndico e em uma eventual troca, essa pessoa sai e leva valiosos dados sobre o condomínio. E o sucessor precisará aprender na prática coisas que poderiam ter sido deixadas como legado.

Em todo caso os moradores devem estar atentos e cobrarem de seus representantes e futuros representantes a devida qualidade nos serviços prestados, pois sem a devida atenção e importância que o exercício do cargo exige, alguns elementos muitas vezes podem passar batido e gerar problemas que poderiam ser evitados.

Portanto se você tem um síndico que executa um bom trabalho em seu condomínio, está deixando caixa saudável, valorize-o! E em caso de troca de síndico, cobre um plano de transição. Isso traz transparência, segurança, clareza e certamente só perpetuará os benefícios aos moradores que ficam.


Joyce Fernandes

Síndica Profissional desde 2015 – Formada pela Assosindicos 
Apaixonada por desafios e autoconhecimento
“Dispenso o que não me desafia e não me faz crescer.”

Comentários

Nenhum comentário

Deixe o seu comentário!

  +  52  =  60