O trabalho do síndico na quarentena – Covid19

6 de maio de 2020 /

O trabalho do síndico na quarentena – Covid19

Ao contrário do que alguns pensam o síndico está trabalhando ainda mais durante o período de quarentena. Com mais pessoas dentro de seus apartamentos a demanda de trabalhou significativamente.

O número de reclamações de barulho tem crescido muito nos últimos dias, pois as pessoas seguem trabalhando em homeoffice (como havíamos falado no último post)e muitos já não aguentam o isolamento e abusam no som alto e infelizmente até em festas. Há também os que decidem usar furadeiras e martelos enquanto o vizinho ao lado está em reunião por vídeo ou tentando dar uma aula online.

As crianças não aguentam mais ficar dentro da unidade e continuam gastando toda sua energia correndo de um lado para o outro, enquanto o vizinho tenta descansar de uma jornada noturno de trabalho no hospital. Sem contar as faxinas mais minuciosas onde todos os móveis são arrastados do lugar.

Quando não, são as reclamações por coisas silenciosas, como sapatos deixados nos halls, sapato que some do hall, aglomeração dentro dos elevadores, consistência do álcool gel, porcentagem do álcool gel comprado, se tem registro na Anvisa.

Se não bastasse, temos ficado atentos as todas as notícias e novas diretrizes dos governantes sempre analisando o que é determinado para que possamos adequar o condomínio a cada nova mudança e assim manter o condomínio dentro das exigências legais.

Isso quando não somos comunicados de um novo caso de Covid19 dentro do condomínio e o medo se espalha. Daí precisamos agir para tranquilizar as pessoas e as vezes orquestrar ações diferenciadas na limpeza do condomínio.

Também existe a preocupação com as contas, pois a inadimplência aumenta e acabamos trabalhando na revisão de contratos e serviços a fim de manter tudo em ordem no final do mês. Tudo isso acontecendo em paralelo ao que já ocorre no condomínio, como obras emergências, bombas que queima, água que falta, elevador que quebra e tudo mais que ocorre.

Algumas coisas realmente estão tranquilas com as áreas comuns fechadas, os problemas do lado de fora estão um pouco menores, mas as tratativas a cada unidade que não se atenta aos vizinhos, essas estão tornando os nossos dias longe de serem tranquilos e com muito tempo sobrando!

O que esperamos de verdade é que este tempo de reclusão sirva para que possamos ter condôminos melhores e mais evoluídos. Que todos se conscientizem do seu papel e responsabilidade não só no condomínio, mas na sociedade e que ao final de tudo possamos todos aprender e crescer.


Joyce Fernandes

Síndica Profissional desde 2015 – Formada pela Assosindicos 
Apaixonada por desafios e autoconhecimento
“Dispenso o que não me desafia e não me faz crescer.”

Comentários

Nenhum comentário

Deixe o seu comentário!

53  +    =  61